Os japoneses pedem que ecchi seja diferenciado corretamente de assédio sexual

O alvo no momento é a editora Shueisha

2
1322

Um usuário japonês fez uma petição recentemente no site Change.org, com nome de “Men are not Wolves”. A petição pedia que a editora Shueisha e o departamento editorial das revistas Shonen Jump a separação da classificação “abuso e/ou assédio sexual” da categoria de ecchi, para que supostamente possa minimizar esses tipos de atos.

Os japoneses pedem que ecchi seja diferenciado
✨ Retirar os anúncios é mais barato que um refri. Seja PREMIUM!

Mesmo que esse tipo de petição possa ser classificado na categoria “SJW (Guerreiros da Justiça Social)”, na verdade, no idioma japonês, o assédio sexual (em todos os níveis) sempre foi qualificado como “ecchi”.

No Japão, infelizmente, existem muitos (ou se não todos) os tipos de assédio sexual que se pode imaginar. Muitos japoneses contam nos dedos os considerados “ecchi inofensivo”, algo que foi demonstrado pelos recentes acontecimentos do escritor Act-Age, que foi preso por abusar sexualmente duas meninas menores de idade.

Siga a gente no Google News e acompanhe todas as postagens do seu celular de forma rápida e fácil!

De acordo com eles, a petição destaca que não visada a boicotar a editora, e sim, categorizar corretamente seu conteúdo.

✨ Retirar os anúncios é mais barato que um refri. Seja PREMIUM!

Sobre a Petição

Por fim, a petição (link) foi encerrada com 4.190 assinaturas coletadas em um período de nove dias, e será enviada à editora em breve.

VIASomos Kudosai
FONTETwitter
Everson Sousa
Formado em ADS, professor de desenvolvimento de sistemas e de karate, também fissurado pela cultura japonesa. Sou fundador do site Anime Profile.

2 COMENTÁRIOS